03 abril 2005

Adeus meu Papa!

É com enorme pesar e simultânea alegria que vejo partir deste mundo o mais poderoso símbolo, carnalmente existente, da minha igreja. Quase toda a minha vida foi ele o rosto da instituição que tantas vezes ponho em causa mas à qual pertenço. Finalmente liberto do sofrimento da carne e das atrocidades dos homens, certamente estará agora num lugar melhor.

Foi com nojo e desprezo que constatei o uso do seu nome e da sua pessoa, como arma de arremesso nos discursos politizados e racionalistas de uns quantos monos com pernas nos últimos tempos da sua vida. Usado como símbolo do “contra” ou do “a favor” segundo as cores partidárias ou ideologias políticas, por pessoas que mais não vieram fazer ao mundo senão ocupar espaço, consumir recursos e quem sabe procriar (pelas quais nutro o maior desprezo).

Se existem porventura pessoas, como aliás se constata que sim, que vivem bem ausentes da dimensão poética da existência, relegando para o plano do desinteresse absoluto valores como a fé, a beleza, o imaginário ou mesmo a ficção, dou-lhes os meus parabéns. Parabéns porque existir dependendo apenas do factual, do concreto e de valores materiais e discursivos (sentindo assim grande prazer num uso excessivamente monótono do seu intelecto), é para mim uma imagem de pesadelo. Uma espécie de maldição em vida, almas penadas dentro de corpos em movimento. Dou os parabéns a todos os que têm uma existência tão cinzenta e desinteressante (assim como desinteressada de tudo o que directamente não lhes diga respeito), pois acho admirável que ainda não tenham dado um tiro nos cornos e acabado com as suas medonhas existências!

Eu sei que de alguma forma o meu Papa continua a existir, algures, numa outra forma de existência que por agora não compreendo, mas à qual um dia vou também pertencer.

2 comentários:

Ponjo Masil disse...

É assustador afirmar, mas o facto é que até hoje:
nem a Razão nem a Fé trouxeram a felicidade ao Homem.
A mistura dos dois factores no mesmo pote, falando em termos culinários, poderá, porventura, trazer melhores resultados à vida do 'bicho mais complicado que o planeta Terra já conheceu?

NADA SABEMOS DO QUE OCULTA
O VÉU IGUAL DE NOITE E DIA
MESMO ANTE A MORTE A FÉ EXULTA:
CHORA E CONFIA
fernando pessoa

SB disse...

aDeus e até à proxima.