29 dezembro 2008

Cavaco, o político

Nunca foi deputado, liderou apenas cinco meses um partido político sem estar a liderar o país, governou dez anos com duas maiorias e foi eleito à primeira o primeiro Presidente da direita contra dois pesos pesados da esquerda. Se a 31 de Julho Cavaco falhou na transmissão da mensagem esta noite foi cristalino. Tem razão, o precedente é grave e, só não dissolve o Parlamento, porque o estado do país obriga-o a ser o que sempre foi: um institucionalista, formalista focado no interesse geral. Quanto tanto se fala se "change" na política é bom saber que a dignidade, seriedade e "lealdade" existem para alguns, mesmo quando são violadas por outros. Mesmo quando sabemos que os "interesses partidários de ocasião" se sobrepõem "aos superiores interesses nacionais". Do ponto de vista pessoal e partidário Sócrates esteve bem: fez uma boa esparregata e "encostou" o Presidente às cordas. Mas, como tudo na vida, terá de pagar a factura. Mais cedo do que tarde.

O fim da lealdade

O Presidente acaba de usar a palavra lealdade para descrever o que sente que lhe faltou. É o fim de uma era, na pior das alturas.

Ouve-se Cavaco Silva

a acusar o Governo de colocar o interesse do partido à frente do interesse de Estado, ouve-se a reacção do PSD, PS e CDS, e é inevitável que nos passe pela cabeça que nos resta pouco na credibilidade e seriedade da política nacional. Resta-nos Cavaco, coberto de razão - mas preso pelas circunstâncias, pelo sistema político e pela sua própria seriedade.

19 dezembro 2008

Ponto de situação, para enquadrar conversas futuras

1. O Governo não esperava a crise que agora chegou. Se bem me lembro, começou o ano a dizer que tinha a crise arrumada e as contas feitas. Em Abril, para cúmulo, baixou o IVA um ponto. Foi avisado por muitos de que podia ser um erro e não ouviu. Foi o que se chama deitar dinheiro à rua. Agora, resta-lhe fazer o que está a fazer - e está a fazê-lo bem, dentro do possível. Mas gastou tanto dinheiro mal gasto entretanto, que não lhe resta, em 2009, como ter mais para investir caso a crise bata forte. E não é preciso ser bruxo para prever que isso vai acontecer. Essa é a maior culpa de Sócrates: não como reagiu, não por ter provocado a crise. Mas porque não soube ler os sinais de tempestade. Agora arrisca-se a navegar à deriva.

2. Manuela Ferreira Leite é um caso difícil de perceber. Tinha tudo para ser a líder de que o país precisava, para se recompor do que aí vem. As propostas que fez a tempo, ainda em cima do Orçamento, mostravam acerto e prudência. O discurso prometia rigor e transparência. A palavra mostrava pouca vontade de disfarçar o erro ou a ilusão. Em poucos meses, porém, conseguiu baralhar os menos cépticos. Esqueceu-se de falar durante mês e meio, atirou aos imigrantes e aos homossexuais, ironizou em falso sobre ditaduras, chamou Santana Lopes, errou nos tempos e nem se lembrou de explicar que muito do que já propôs, o Governo recuperou meses depois. Pior ainda, consegue acabar o ano numa confusão com os deputados que não só nada beneficia o partido, como acaba a prejudicar o Presidente da República (permitindo a quebra de disciplina de voto a dois deputados dos Açores que permitem a aprovação do Estatuto dos Açores). O ano só vai começar agora, mas para Ferreira Leite começa cedo demais.

3. À esquerda, é a loucura. Fascinados com a crise económica, os bardos acreditam que o capitalismo acabou, que a direita entrou em crise. Perdoe-lhes Deus, que não sabem o que que dizem. Esperam talvez um novo socialismo, chamam pelo Estado grande, pedem o fim dos banqueiros e apontam ao Estado social eouropeu como caminho único. Em suma, acreditam que o dinheiro cai do céu, como nos desenhos animados, e que Deus faz milagres diariamente. Animados pelo debate, Alegre e Louçã juntam-se na Aula Magna, Jerónimo mobiliza as massas, a la esquerda pede um debate para que o PS recupere o rumo. No meio da loucura, Sócrates parece um médico no meio do manicómio. E agradece a animação, para se mostrar ao centro. Para já, e no meio da tornenta, vale-lhe o caos à esquerda e à direita (vale a pena lembrar o CDS?) para manter viva a chama.

4. Depois, resta Cavaco. Depois de muito ter dominado o xadrez político, o Presidente aparece no meio de uma dispensável disputa política. Com o estatuto dos Açores, não teve como evitar a entrada num jogo que não era conveniente a ninguém. E ontem viu-se derrotado no Parlamento, sem que tenha muitas armas para voltar a jogo. Antes, tentou libertar-se de um outro jogo, mais perigoso, onde se sentiu envolvido: o do BPN, com meio mundo a deitar cinzas para cima do seu currículo, mesmo que por interpostas pessoas. Mais do que Cavaco, perdeu o país. O Presidente arriscou-se a sair do papel central de mediador, que tanto ajudou o país a manter uma certa normalidade nos últimos anos. Da sua capacidade de sair deste jogo por cima dependerá muito do que vai acontecer. Sobretudo depois de Outubro - quando as cartas estiverem em cima da mesa, viradas para cima.

Expliquem-me lá

como é que é possível que alguém acredite que uma crise pode, só por si, ajudar um primeiro-ministro em funções, num país que não cresceu acima da média europeia em nenhum dos anos da legislatura?

Volto ao blogue...

para vos dizer que começo a esfregar as mãos para as eleições de 2009. Vamos a isto, malta?

18 novembro 2008

EDUCAÇÃO: OBRIGADO


Aquilo a que estamos a assistir no sistema público de ensino degradou o património existente de um modo quase irreparável. O que (se calhar) estrategicamente os professores e alunos ainda não perceberam, é que estão a cavar a sua própria sepultura. E porquê? Porque a degradação leva à perda de confiança, que leva ao abandono, que leva à busca de alternativas.Qual o pai ou encarregado de educação que se sente confortável, a partir deste momento, com as escolas públicas? E como todos sabemos, sem fregueses não há mercearia que se aguente, e os marçanos têm que ser despedidos.

O sistema público, com as suas falências, tem feito mais pelo sistema privado de ensino do que anos de lobbying a favor dos colégios e dos cheque-ensino. Particularmente a Igreja Católica, detentora indirecta dos melhores colégios do país (sabe-se lá porquê !!!!!) agradece o serviço que os socialistas têm feito. Qualquer dia ainda somos surpreendidos com uma nota da Conferência Episcopal a agradecer a Milú Rodrigues os superiores préstimos desenvolvidos a favor da liberdade de ensino.

Eu, defensor da liberdade de ensino, só me posso congratular com as greves, os deficientes modelos de avaliação e com estatutos de aluno surrealistas. Seguindo este caminho o país acabará por sair beneficiado porque os bons colégios sairão reforçados.

13 novembro 2008

a praga está identificada

afinal o nemátodo do pinheiro tem nome: chama-se "manuel sebastião" e aloja-se dentro da estrutura do pinho impedindo a nutrição do mesmo.

05 novembro 2008


Tenho, admito, uma dificuldade estrutural em acreditar cegamente em alguém que me vende um mundo diferente. A palavra ilusão não me soa bem, não me faz acreditar. Esta noite, porém, a América elegeu Barack Obama presidente. E eu quero acreditar que este homem, que
transparece bom-senso, tranquilidade, convicção, vai ser o que se propõe. Uma coisa é certa: hoje ele mudou o mundo. Tenhamos fé que será na direcção certa.

16 outubro 2008

Pacheco Pereira dixit a 22 de Abril

«Vai ser preciso muito esforço para remendar os rasgões que a demagogia das "bases" contra os "notáveis" fez e faz no PSD. Nem de um lado estão as "bases", mas sim um grupo de verdadeiros funcionários do partido, cuja actividade profissional é ou depende de serem dirigentes locais do PSD; nem do outro estão "notáveis", mas sim muitas pessoas que pela sua profissão, actividade, mérito, têm influência profissional, capacidade e credibilidade junto do país, que vai para além da sua qualidade de serem militantes do PSD. E têm independência, têm onde cair mortos. O problema é que num PSD cada vez mais encolhido, mais pequeno, com 26% nas sondagens, os profissionais partidários têm cada vez menos lugares para distribuir e como não têm na sociedade qualquer recuo, qualquer capacidade de manterem o estatuto, o carro, o telemóvel, o salário, precisam de varrer tudo à frente, mesmo se for preciso destruir o partido pelo caminho».

Santana Lopes foi escolhido para candidato do PSD *a Câmara de Lisboa há 23 horas. Cadê P.P.?

Santanices

Santana Lopes queixa-se sempre de muita coisa. Do Sampaio ao desnível do relvado tudo tem cabeça de bode espiatório. Mas, desta vez, só se pode mesmo responsabilizar a si próprio por não ter registado a "santanice". Este Governo, bem ao seu jeito, copiou uma ideia e decidiu aplicá-la no mais importante documento que tem sobre a sua alçada. Não só, entregou o Orçamento do Estado com um atraso de horas (depois de ter decidido antecipar a sua entrega), como teve o displante de brincar com o órgão que o suporta, o Parlamento. Entregou em 'pen' o Orçamento que até o "Magalhães consegue abrir", com sorrisos e um portátil ligado para que os fotógrafos captassem o documento, que afinal tem tantos problemas técnicos que nem o Governo o conseguiu disponibilizar. Problemas todos tempos. Agora brincar com coisas sérias mantendo uma postura de Estado está ao alcance de poucos. Santana sabe-o bem.

10 outubro 2008

PCP?

Jerónimo de Sousa confessou que o partido enfrentava dificuldades financeiras e que levantava a hipótese de despedir funcionários. Gostava de saber para que o horas é que a CGTP convoca a manifestação à frente da sede na Soeiro Pereira Gomes ou na Av. Liberdade? e o que terá Carvalho da Silva a dizer sobre isto?

08 outubro 2008

Isto pára onde?

Os principais bancos centrais reagiram concertadamente, baixando (enfim) as taxas de juro. Os mercados travaram as quedas abruptas. Mas o furacão parece longe de acabar.

26 setembro 2008

Erro grosseiro do 24 Horas

A dívida de Vale e Azevedo ao seu senhorio londrino não é de 400 000 € mas sim de 400 001, 54 €. É da mais elementar justiça esta correcção: afinal um tostão é um tostão!

25 setembro 2008

Sócrates e os mercados

Não sei onde e em que contexto António Borges terá elogiado o 'subprime' como hoje acusou o primeiro-ministro no Parlamento. Sei que António Borges não deixa os elogios só para os outros. Bem pelo contrário! Mas tenho a certeza de que a frase do ex-presidente da INSEAD, ex-vice-governador do Banco de Portugal, ex-vice-presidente do Goldman Sachs, presidente do Hedge Fund Standards Organization, PHd por Standford, ex-administrador do City Bank, actual administrador da Fundação Champalimaud terá, de alguma maneira, sido descontextualizada. Disso estou certo.

'Lisboagate'

Foi este o nome que o DN atribuiu ao conjunto de notícias que tem vindo a publicar e que vão desde a denúncia da prima da irmã do cunhado do calceteiro que trabalhou na dependência de um ex-vereador de Lisboa, até à denúncia a contrapor do genro do sogro do enteado da madrasta de um outro vereador. A questão é pertinente e parece que acabará num recurso para o Constitucional. Isto já para não falar da bem menos relevante constituição de arguido de um ex-primeiro-ministro e presidente da Câmara de Lisboa...

O sr. do plano tecnológico dizia ontem...

...que os Magalhães estavam sem filtros para que os pais pudessem ver as suas potencialidades. Mas, então, porque é o Estado impõe limites de velocidade nas estradas? Era bom podermos ver as potencialidades dos Ferraris dentro das localidades, o sr não acha?

24 setembro 2008

Santanices de McCain

McCain afundou-se pelo menos 10% nas sondagens empurrado por Wall Street e pela proximidade política a Bush. E hoje, para disfarçar o indisfarçável, anunciou suspende a campanha devido à crise financeira e pediu a Obama que se junte a ele adiando também o primeiro debate televisivo marcado para sexta. Santana tentou uma do género, em 2005, com a morte da irmã Lúcia. Será que não percebem que...NÃO PEGA!!!!

13 setembro 2008

Summer of 08

Pinho. O ministro que num dia está entre o seu toldo na Praia Maria Luisa e a sua casa com vista para o mar, no outro (POR PURO ACASO) de fato de banho na piscina de um hotel em Vilamoura para se fotografar com Phelps (estaria com desejos de água quando passeava no hall?) merece a nossa máxima atenção. No Domingo as colunas de som da Madonna que se cuidem....
Cavaco. Caiu (finalmente) o embuste do apolítico. Está a meter a carne toda no assador e a obrigar o Governo a explicar-se, contradizer-se e a trabalhar [pena é que seja por uma coisa tão pouco popular ou compreensível como o estatuto político-administrativo dos Açores (?!)]. Mas os estilhaços acabarão por cair-lhe em cima...o mais tardar em 2011.
Pereira. Todos os governos têm o seu Theias. Uns é por causa das granadas que provocam incêndios, outros os picaretas falantes que de tanto dizer e nada convencer acabam contraditos. Rui Pereira merecia um "tacho internacional". E o país um melhor.
(...) Manuela (...) Ferreira (...) Leite. (...) A reboque de Cavaco nos Açores. (...) (...) Menezes afinal fala (...) Pacheco Pereira desmistifica o (...) da líder (...) Mendes Bota e o Pontal existem (...) Menezes afinal fala (...) Pacheco Pereira desmistifica os (...) (...) (...) (...) da líder (...)Pacheco Pereira antevê discurso da líder (...) Menezes afinal fala mais uma vez [e só falou menos porque teve uns diazinhos de férias na Quinta da Balaia. Ah aquilo de estar calado um ano era a brincar...].
Marcelo. É grande a sua aparente vontade de liderar o PSD [com tanto ataque a Ferreira Leite], formar Governo mas é tudo uma grande falácia. Com o desgaste de Cavaco pode antecipar Belém cinco anos e já trabalha mas é para apadrinhar o seu sucessor favorito no PSD: Alexandre Relvas.
Sócrates. Soma e segue sem travagens nem hesitações. Ou melhor, só uma: Jerónimo-com-um-fôlego-do caraças-de Sousa.
Portas. Nas palavras do amigo VPV está como o país: "Sem destino".

11 setembro 2008

4º Aniversário

Por estes dias fizémos anos. 4 anos. Cabe-me a mim lembrar esta data, já que os restantes bloguistas desta casa ainda estão a banhos. Parabéns a nós e aos que por cá andaram: paulo, luís, bruno e etc..

08 setembro 2008

O problema de Portas não é ter deixado de existir...é que os outros já aceitaram que ele não existe

Muitas vezes em política, não é necessário lutar contra os adversários. É preciso apenas esperar que eles bebam a sua própria cicuta. De partido político, o CDS transformou-se num clube de amigos....daqueles que vão ao domingo à noite ao cinema e depois fazem apaixonados textos de crítica cinematográfica para distribuir pelos amigos. O CDS está morto. Pouco a pouco os burocratas estatutários foram afastando os valores que o CDS tinha. Saíram a Maria José, o José, o Luís e tantas outras pessoas, que se fartaram. Simplesmente acharam que aquele peditório se estava a parecer demasiadamente com o dos alegados Bombeiros de Linda-a-Velha ali para os lados dos semáforos do Hospital Santa Maria. Por muito vazia que seja a política dos dias de hoje, ela tem que ter conteúdo, ideias e valores. E isso é algo que o CDS deixou de ter. E eu deixei de ter pena. O CDS hoje não é nada. Primeiro foi projecto democrata-cristão, e pouco a pouco foi-se transformando num veículo ideológico conveniente aos interesses individuais de quem por lá passava. E isso, meus amigos, não é política...é interesse. RIP CDS


P.S.: a morte do CDS, que irá ser consumada nas próximas eleições, e os maus resultados prováveis do PSD (mau resultado é qualquer tipo de derrota!) vão fazer surgir um espaço de oportunidade para um novo e verdadeiro projecto de Direita moderna e renovadora em Portugal....uma espécie de RPR versão lusa. Partido novo para o qual deixo desde já a minha disponibilidade para colaborar, e uma sugestão de nome: Renovação de Direita

03 setembro 2008

O bom vizinho vai de férias

Quais Daimlers, Jaguars, Rolls e sem-abrigos a dormir debaixo dos bancos! Eu quero é férias! Cá nos encontramos de novo no topo da Avenida daqui a uns dias, caro amigo. Até já.

02 setembro 2008

ter bons vizinhos não é para todos

Eis que, passados estes anos todos, sou fisicamente vizinho do tecnicamente vizinho David Dinis. E que piada tem a Avenida de Liberdade com os seus Daimlers, Jaguars, Rolls e sem-abrigos a dormir debaixo dos bancos!

01 setembro 2008

27 agosto 2008

Olha quem fala

A segurança interna precisa de nova estratégia e de mais meios e instrumentos. Deste presidente da República ninguém pode dizer o que se disse de Jorge Sampaio. É que Cavaco é cirúrgico na escolha do momento para falar, mas quando o faz toda a gente percebe o que quer dizer. Digamos que é um caso bem sucedido de gestão do silêncio. Pois ontem Cavaco apareceu para falar do que preocupa todo e cada português: o que chamou de “onda de violância”: “Não há dia em que não sejam noticiados assaltos, ou até crimes violentos”. E sejamos claros: voltou a ser pouco simpático para o Governo. Meteu o dedo na ferida, num momento de difícil gestão política. Sendo que o fez um dia depois de ter promulgado a leis de Segurança Interna, deixando poucos argumentos para desculpas. O presidente falou, e falou alto. Hoje, segue-se o PGR. E, feitas as contas, há silêncios que já parecem tão inexplicáveis como o do PSD. Afinal, onde anda Alberto Costa?

26 agosto 2008

Cito João Miguel Tavares

"Eu não tenho nada contra o silêncio de Manuela Ferreira Leite. O meu problema é mesmo quando ela fala". O João contesta, num belo artigo, não o silêncio mas as poucas intervenções públicas do novo PSD. Sobretudo o pedido de demissão do ministro da Administração Interna. E é a melhor crítica feita até hoje a Ferreira Leite. Leiam, por favor.

16 agosto 2008

Eu armado em JPP ou em VM

A partir de hoje vou voltar a escrever no meu jornal. Passei os primeiros meses no JN a respirar fundo e volto agora à guerra do grande público. Vou seguir o exemplo do Pacheco e do Vital e meto aqui também a crónica, sempre que ela existir. Cá vai a estreia

A regra de ouro
"
Esqueçam o Pontal, porque Manuela Ferreira Leite não está na liderança do PSD_para falar às bases. O público da nova líder é o centro. E o seu púlpito, longe da Quarteira, é Lisboa. Manuela fala pouco. E esta, goste-se ou não, é a mulher que vai disputar São Bento com Sócrates. Habituem-se.
Os que, como Ângelo Correia, denunciam o silêncio da dama-de-ferro como um risco, sabem bem que esse silêncio pode ser também a sua maior virtude. Ângelo, aliás, lembra-se certamente como foi com Cavaco. E até se lembrará do que fez Sócrates: falou tão pouco que até lhe chamaram o Cavaco do PS. Mais: saberá o triste fim de Guterres, o picareta falante; de Marcelo, o frenético; de Santana, o menino de ouro; ou de Menezes, cujo fim de história ajudou a montar.
Pois é. Manuela Ferreira Leite não está a abrir um novo caminho, mas apenas a seguir uma regra de ouro da política portuguesa. A estratégia tem riscos? Muitos. Mas até Outubro de 2009 vem um mundo. E já António Vitorino dizia ontem, sabiamente, no Expresso: “Se me souber dizer com segurança o preço do Petróleo em Setembro de 2009, eu digo-lhe o que constará do programa eleitoral do PS”. E quem é que dizia “habituem-se”?
"

01 agosto 2008

O que é melhor?

Jornalismo de causas ou o comentário de causas?

20 julho 2008

O Cordeiro, o lobo e o casamento 'gay'

Ainda a campanha não arrancou – embora às vezes pareça muito – e já o líder socialista tem um problema programático para resolver. Como se não bastassem as reiteradas críticas de Manuel Alegre às medidas “liberais” da maioria, como o recente Código de Trabalho, agora é o novo líder da Juventude Socialista, Duarte Cordeiro, a deixar um aviso: que não aceitará do seu líder menos para os homossexuais do que a liberdade de casamento.A declaração não é despropositada. É que nos últimos dias, no Diário de Notícias, foi lançada uma nova solução para a difícil polémica dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Passava por aligeirar o estatuto e conceder-lhes apenas uma união civil registada. A tese podia agradar – necessitado dos votos ao centro, para reconquistar a maioria absoluta, Sócrates teria aí o seu Ovo de Colombo. Agora, aparece-lhe um cordeiro novo com pele de lobo vestida para estragar a teoria. E falta um ano para as legislativas.

18 julho 2008

Diz a lei de Gresham


Menezes é moeda zimbabuena. Tem uma inflação de cerca de 2.200.000% (é preciso muita para se adquirir pouco). Então não era silêncio profundo até 2009? Incontinente no poder e longe dele. É mesmo má esta moeda.
[Reli o artigo e é óbvia a inspiração]

16 julho 2008

Problema das Pensões em 2030 resolvido? Ao cuidado de S. Exa. o Senhor Ministro do Emprego e da Seguraça Social


De acordo com os tablóides, a comunidade cigana que pretende realojamento e se refugiou junto da polícia por causa dos confrontos da Quinta da Fonte, era de 31 membros (identificados e referenciados) na 6ªfeira, e no dia seguinte já eram 60.

Sem que nada o fizesse prever, a comunidade em questão parece ter resolvido, de um dia para o outro, e com um baixo investimento em R&D, todo o problema da natalidade nacional, da inversão da pirâmide geracional e da gravidade da sustentabilidade financeira de médio prazo da segurança social.

Este episódio, se não fosse o risco de ser considerado uma heresia, podia também chamar-se o "milagre da multiplicação dos pães".

Para quê gastar rios de dinheiro em livros brancos e grupos de trabalho, se a solução está em Loures!

15 julho 2008

Real-politik


A memória, em política, é um coisa muito valiosa. À esquerda mas também à direita. No meio da troca de galhardetes estou com Bagão Félix: Como é possível que o país aceite que um ex-secretário-geral de um partido politico apresente cinco dias depois do debate do Estado da Nação a radiografia económica do país? Se isto não é política, eu tenho que admitir: não percebo nada da poda...

Mauzinho Pinto

Assisti ontem ao "prós e contras". Apanhei só o final e não percebi muito bem o tema. Aquilo de que me recordarei, por muito tempo, será da prestação do putativo Bastonário da Ordem dos Advogados. Algumas considerações, justificáveis pelo choque que tal figura me causou:

1- Ó Dr. Pinto, não se diz "Cai o mundo e a trindade" mas sim "Cai o Carmo e a Trindade"; embora haja dias em que o Carmo parece um mundo, não me parece adequada a indiferente substituição de desigações;

2- Percebi ontem, porque razão o Dr. Júdice o tem em tão pouca conta. Não! Não é qualquer ódio intra-corporativista! É porque o Dr. Júdice é um institucionalista, e sabe que as instituições sobrevêm a quem as ocupa; podemos e devemos, todavia, ajudar a que as necessárias reconstruções institucionais tendam a ser menores e menos dolorosas, após o período em que pessoas menores e indignas dos cargos que ocupam, ocupem sem honrar a história, esses cargos;

3- À sobriedade e superioridade no exercício dos seus cargos patenteada pelos Bastonários das outras Ordens, respondeu Dr. Pinto com discurso chineleiro, zapatista, chavista, basista, esquerdófilo e por isso ideologicamente manietado, enviesado e inconsequente, esquecendo por completo aquilo que é o dever superior do Bastonário da Ilustre Ordem dos Advogados, até à data exemplarmente seguido por todos os Bastonários, e que é a garantia de serviço público (nas suas várias facetas)de uma profissão por inteiro, pensando na relação dos profissionais com a sociedade sem a eivar de vectores politizantes e politizados. Caramba! O senhor é o Bastonário da Ordem dos Advogados...como se esquece disso?

4- Insurgiu-se o Dr. Pinto com o Professor Doutor Artur Anselmo ilustre académico, (comprovável por todo o seu percurso literário e profissional, bem como por aquilo que subtilmente tentou ontem ensinar ao Dr. Pinto (hellas, sem sucesso!)), por este último ter designado a 1ª República de República das bananas; o Dr. Pinto demonstrou com a sua reacção, chamemos-lhe de galvanizada!, uma inqualificável ignorância histórica, grave para um jurista, inaceitável para o Bastonário dos Advogados, já que esse período medíocre da história Portuguesa, só por eufemismo se pode chamar das Bananas, fruto nobre e nutritivo. A história (essa intepretação da realidade ida, feita pelas cabeças de "agora") já tratou de confinar esse período negro (algo que o Prof Artur Anselmo tentou educadamente dizer ontem, quando referia que a esquerda carbonária e republicana nos idos 20 e 30 tratou de apelidar o período, de negro)a adjectivos bem mais superlativos do que "das bananas";

5- O Dr. Pinto não só envergonhou uma classe inteira, que quero acreditar não se revê no verbo, na ideia e no porte quotidiano do presente Bastonário, como envergonhou a história de uma instituição séria e com pergaminhos como é a honorável Ordem dos Advogados e todos os seus anteriores Bastonários e mais altos representantes;

6- Por fim, o senhor Dr. Pinto não é Marinho, é Mauzinho! Considero, muito sinceramente, que a Ordem merecia melhor, "tant pis".

10 julho 2008

Diz o ex-ministro-Adjunto do pântano

Sócrates, primeiro-ministro há três anos, culpa os antecessores pela herança que recebeu. Alguém tem saco para isto?

09 julho 2008

Como está a nação?


Por comparação com os três últimos exercícios, os três últimos anos de Governo socialista eu diria que pior:
1. Pior do ponto de vista da economia: com mais desemprego, menos poder de compra e mais endividamento.
2. Pior do ponto de vista social: com mais portugueses a viverem na dependência do Estado e mais portugueses a viverem abaixo de limiares minimamente aceitáveis.
3. Pior do ponto de vista político: com a sociedade civil a dizer que o Governo está menos reformista e mais eleitoralista, e alguns sinais de tensão nas relações institucionais entre o Presidente da República e o primeiro-ministro principalmente no que diz respeito à definição dos grandes investimentos do Estado. Sócrates não tem a vida facilitada e os portugueses de férias ou prestes a irem de férias estão naturalmente mais desanimados.
O Governo tem méritos, no entanto. Alcançou o défice mais baixo da democracia portuguesa ( à custa dos porutgueses, é verdade, mas os portugueses sempre cá estiveram e ele nunca tinha sido alcançado), iniciou reformas na Saúde, educação e, acima de tudo, na Segurança Social que estava há três anos numa situação de pré-rotura.
Sócrates no Parlamento tudo fará para sublinhar o rumo e determinação que tem em continuar a conduzir o país. Resta saber se dentro de um ano e meio, no inferno do calendário de três eleições, os portugueses lhe voltam a reconhecer por maioria o mérito de timoneiro. Diria que é muito difícil.

05 julho 2008

Às vezes faz bem

Perder a cabeça

Sou um leitor Expresso

E hoje reparei que no primeiro caderno que tem 48 páginas foram publicadas 10 fotografias de ministros:
- 5 do primeiro-ministro (entre a página 4 e a 11...)
- 2 de Mário Lino
- 2 (contando como uma todas as fotografias da entrevista) de Maria de Lurdes Rodrigues
- 1 de Manuel Pinho
E então?
Tudo normal com a excepção do anormal número de fotografias do primeiro-ministro. Teve direito a mais do dobro das fotografias da líder da oposição (2). Uma distração, estou certo, até porque Sócrates foi um dos protagonistas da semana ao confirmar que a crise existe e veio para ficar, mas não foi o único...

Matéria de concorrência

A Sic acaba de contar que a crise chegou aos abutres. Têm falta de alimento e já atacam ovelhas de criação. Se a crise até já chegou ao desregulado mercado dos abutres o que dizer de tudo o resto?

18 junho 2008

Agora vou de férias

Volto dia 28, a tempo do Portugal-Espanha. Até já.

13 junho 2008

1.8 milhões de portugueses têm seguro de saúde

Ou os portugueses andam endinheirados ou andam a jogar pelo seguro. Qual das duas será?

A solução

...para o "não" irlandês deve ser irlandesa. A Europa já esperou demais, é tempo de seguir em frente. Que se dê início às duas velocidades.

Aqueles que eram os tristes argumentos do "Sim"


O "Não" venceu na Irlanda

Pior surdo é o que "Não" quer ouvir

Pues que no

A crise dos camionistas acabou. O Governo pôs-lhe fim em três dias, com custos para o orçamento (mesmo que não os mais onerosos) e sobretudo para a autoridade do Estado. Mas terá falhado Sócrates? Gostava honestamente de dizer que não, porque acho que nas mesmas circusntâncias seria difícil fazer melhor. Mas não posso. É que subsidiar empresas inviáveis para estas sobreviverem mais três, quatro meses, é a pior maneira de lidar com a crise. E ignorar que se está a violar a lei é a melhor maneira de pedir que venham outros fazer o mesmo.

10 junho 2008

Com nos preparámos para a bernarda (2)

Estava tentado a subscrever inteiramente o teu post, mas fiquei a pensar no problema e tenho que lhe fazer um acrescento. O caso, acho eu, é que o Governo de Sócrates nunca falou a verdade aos portugueses.

Sei, já sei que vais dizer "pareces a Ferreira Leite". Não sei se é o caso. De todo o modo, aqui fica a tese:

1. Sócrates chegou ao Governo e quis fazer o mesmo que Barroso com outro discurso. Ou seja, dramatizou o défice do Estado, pediu os mesmos (mais?) sacrifícios, aproveitou para fazer algumas mudanças importantes. Mas fez tudo isto prometendo, ao mesmo tempo, que faria a economia crescer cada vez mais, e sem nunca ter criado as condições para a reestruturação do aparelho produtivo nacional.

2. No fundo, Sócrates queria o que o ditado diz: "Sol na eira, chuva no nabal". O problema? É que, acreditando que o problema estava só no Estado e não nas suas próprias vidas, os portugueses seguiram em frente, como
é sempre mais fácil. Se estavam sobre-endividados, mais ficaram. Se trabalhavam pouco, pouco continuaram a trabalhar.

3. Hoje, nas ruas, encontramos todos a protestar contra o Governo. O que eu quero dizer é que, se tens razão nos três porquinhos, faltou-te dizer qual deles representa os portugueses de hoje e destes anos. Eu acho que nenhum. Mais perto deles, só mesmo a cigarra do costume.

09 junho 2008

Como nos preparámos para a bernarda?

Se este Governo fosse um dos três porquinhos seria o do meio. Aquele que construiu a casa em madeira (teve mais trabalho do que o que a fez de palha e menos do que o outro irmão, que optou pelo cimento). Até trabalhou na consolidação das contas públicas, no acertar do passo nas reformas mas começou a ir para a praia com o sol de Março...

08 junho 2008

04 junho 2008

Declaração de interesses


Eu gosto do Scolari, do Nuno Gomes e até do Raúl Meireles. Para mim, a bola é nossa. E dia 11 lá estarei, a apoiar a malta.
Quanto ao Mourinho, também gosto. Só tenho pena que não esteja na selecção, mesmo a falar italiano.

03 junho 2008

Um deslumbrado

Mourinho hoje recusou falar em português na sua primeira conferência imprensa como treinador do Inter. É parolo demais para ser verdade...

31 maio 2008

Casadevinho

Ponto prévio: a minha cultura musical é mediocre. Só ontem conheci uma senhora, inglesa, de 24 anos que se chama Amy Winehouse. Até ontem, desconhecia a sua existência e a onda de fãs que move, até mesmo em Portugal. Fiquei, por isso, impressionado e dividido. Impressionado pela voz. Dividido entre o que merece maior pena: se a dita vida desgraçada da senhora, se a promoção que foi dada pelos media portugueses à sua vida estúpida de consumo de drogas.

O jogo está perigoso, sr engenheiro

Manuela Ferreira Leite é a nova líder do PSD. Manuel Alegre junta-se num comício com bloquistas e renovadores comunistas, depois dos alertas de Soares. Cavaco vai deixando avisos sucessivos sobre a crise. Os combustíveis não páram de subir, nem tão pouco os preços dos alimentos. A crise subprime está a caminhar para o pico - com tudo o que isso implica no arrefecimento económico do Ocidente. E falta só um ano para as eleições. O eng. José Sócrates terá pela frente uma dura batalha.
E ando eu há dois anos a escrever que a maioria absoluta não era garantida...

Directas

Previsões feitas há um mes. Resultados:
MFL - 37%
PPC - 31%
PSL - 29%
MPA - 1 %

Na mouche.

Portugal poderá ter pela primeira vez uma mulher eleita como primeira-ministra. Os EUA que se cuidem...

Tendências ou certezas?

Os primeiros dados sobre a eleição directa do novo líder do PSD demonstram duas coisas: os partidos são máquinas de poder, com um grande instinto de poder; o cacique é uma espécie menor quando comparado com a qualidade instrínseca do candidato. A ver vamos se as tendências são para manter.

30 maio 2008

Caro Pacheco Pereira,

Jornalistas com opinião nunca fez mal a ninguém. É como ter militantes de um partido (o seu caso, por exemplo) a comentar a actualidade do país. Apesar do compromisso que tem em ser militante do PSD todos sentimos que faz uma assertiva análise da realidade. Mesmo quando tem que contrariar as suas próprias posições: ontem, por exemplo, como apoiante de Manuela Ferreira Leite teve a frontalidade de dizer que ela perdeu o último debate televisivo. Ainda bem. Com o jornalismo acontece o mesmo que acontece com os políticos. Há de tudo. O mais opinativo, o mais independente, o mais transparente, o mais obscuro... Tratar tudo por igual é que me parece um erro. É como meter no mesmo saco o comentário político de Marco António Costa no Corredor do Poder e o seu na Quadratura do Círculo...

29 maio 2008

E se Sócrates aproveita a oportunidade?

À esquerda, PCP e Bloco, estão o mais hostil possivel (fortes nas sondagens mas muito hostis) e até alguns notáveis socialistas ajudam à festa - Alegre vai dar-lhes uma mãozinha depois de Soares ter feito o mesmo.
A direita ainda se está a recompor de 2005, com o CDS focado mas a remar contra os casos de polícia, e o PSD à procura de rumo e timoneiro.
A economia só tenderá a piorar no próximo ano e o eleitorado vai continuar a provar a dura impotência dos sacrifícios a que este Governo os obrigou.
Não será melhor para Sócrates aproveitar a moção de censura da próxima quinta-feira e ir já às urnas fazendo uma campanha estilo Cavaco em 85 ? ("Não me deixam governar [ em tranquilidade, dado que a maioria existe]! Eles não fazem nada e nada querem que façamos!").

28 maio 2008

Passos venceu

Manuela Ferreira Leite cometeu um erro ao afirmar -se como contra-ponto dos deputados, denegrindo mesmo o grupo parlamentar. Não havia necessidade: não ganha um voto, não marca mais posição por isso ( já se sabia que discorda dos protagonistas do passado recente). E criou um novo problema: caso seja eleita vai precisar de ter um grupo parlamentar que a ajude a fazer oposição a Sócrates. E Aguiar Branco não basta...
Santana Lopes esteve mais apagado do que no primeiro debate mas com um sentido de sniper único. Viu a saída em falso de Ferreira Leite e entrou a pés juntos...
Passos Coelho ao contrário do primeiro debate foi afirmativo, distintivo e pouco reactivo. Por tudo isso, venceu.

Vencedor e meio

Passos Coelho não se meteu na guerra de capelinhas do PSD e ganhou. Ferreira Leite fez como Cavaco no debate com Soares: não respondeu aos ataques e saiu por alto. O duelo parece a dois. Mas parece-me que a campanha de Santana passou mais pelo veneno nas sessões cara a cara com militantes do que na guerra televisiva. Efeitos? Só Deus sabe.

VPV da Sic

Passos Coelho venceu

27 maio 2008

Um voto perdido

Sócrates em segundo lugar, os portugueses em primeiro, vivem um momento de muita infortúnia. No final dos anos noventa início deste século, enquanto a economia mundial viveu dias gloriosos com um crescimento fixo acima dos 5%, Portugal esteve mergulhado numa crise grave das suas contas públicas. Guterres (em dois governos que Sócrates integrou, tendo mesmo num deles sido Adjunto do primeiro-ministro) esbanjou oportunidades únicas.
Seguiu-se Barroso que travou a fundo a derrapagem das contas públicas, controlou danos mas nada cultivou. Santana não é, sequer, digno de registo (foram quatro meses mais dois já demissionário).
Aqui chegados temos três anos de um Governo de maioria socialista que teve o enorme mérito de controlar o buraco das contas públicas (num percurso como não há memória). Mas, de repente, quando o país colocava finalmente a cabeça de fora, ex-senão-quando cai uma tempestade que assola tudo e todos. Trava o crescimento, decresce o investimento, desemprego em alta, poder de compra em baixa, aumentam os problemas sociais, dispara a pobreza. Depois de dois anos a vender que o ceú estava já ao virar da esquina, meses após uma descida injustificada do IVA, Sócrates, hoje, descobriu a pólvora: a culpa dos problemas sociais do país é da situação social desequilibrada que o PSD lhe deixou. Perdeu, neste preciso momento, o meu voto mas, mais grave, perdeu todo o decoro. Porquê?
Então e os seis anos de Guterres foram só fumaça? É como dizer que Sócrates que, enquanto ministro do Desporto defendeu a construção de dez estádios para o euro 2004 (muitos deles estão hoje vazios, vários falidos, alguns encerrados) é, por isso, responsável pelo estado de pobreza a que chegámos... Contribuiu, isso sim, tal como o PSD a quem hoje aponta o dedo.
Cavaco tem uma boa teoria para este tipo de comportamentos: Seis meses é o máximo de tempo que um Governo pode responsabilizar o seu antecessor pelos problemas que encontra (a partir de aí entramos no campo da demagogia política). Sócrates já governa há três anos... É, de facto, tempo de encarar o futuro sem andar a justificar o passado.

elementos para a história universal dos assaltos

24 maio 2008

Sandwich

No início e no fim, para não haver saída. O debate ontem, na TVI, entre os candidatos, deu uma vitória na secretaria a Ferreira Leite. A sondagem no início apontava-a como a melhor candidata, o comentador no final garantiu-lhe o elogio a acabar. Chegará?

23 maio 2008

francisco lucas pires

fez ontem 10 anos que morreu Francisco Lucas Pires. um dos melhores comunicadores que eu tive a felicidade de observar.um inspirador. um virtuoso. um mago da letra e da palavra. viveu a um nível a que só os génios podem ambicionar. um daqueles artistas que trata a bola com magia no meio campo. obviamente era do Glorioso. morreu a caminho de coimbra e o filho jacinto, com quem me cruzei no S.J. Brito, faz-lhe hoje uma homenagem no P2. merecida. mais que merecida, obrigatória! a minha vénia, a alguém a quem o mesquinho português-médio não soube agradecer em tempo devido.

15 maio 2008

a família insubmissa

Até ontem éramos: a Bárbara, o David, o António, o Francisco, o Salvador, o Rodrigo e a Maria Clara. A partir de ontem contamos também com o Vicente. Lindo. Parabéns

07 maio 2008

A ministra MIC

Ana Jorge resolveu desafiar o seu colega Teixeira dos Santos em público, repreendendo a sua assinatura no acordo entre a ADSE e o Hospital da Luz. A resposta aos deputados concluiu-se desta forma: "Perguntem ao ministro das Finanças". Não há dúvidas: Ana Jorge é mesmo de Esquerda. E ainda acha que está no MIC de Manuel Alegre.

06 maio 2008

Santana está de volta

com o seu projecto de 2004. Quer a legitimidade eleitoral que lhe faltou. Devia acrescentar que esse projecto é oposto ao de Ferreira Leite, tal como era oposto ao de Barroso, que substituiu. E eis que, num ápice, a história se esclarece a si própria.

Sobre as desautorizações

A polémica com Alípio Ribeiro - e não só essa - leva-me a pensar até que ponto as relações hierárquicas devem ser construídas sobre uma base de lealdade.

05 maio 2008

Previsões para 31 de Maio

MFL: 36% - 46%
PPC: 32%- 44%
PSL: 20% - 30%
MPA: 1%
NS: 0%

Ficha técnica
Margem de erro: Total
Amostra: Nenhuma
Desvio padrão: Por calcular

10 segundos na mente de Santana

"Se eu me candidatar, mesmo que perca, nenhum futuro líder terá coragem de me tirar da lista de deputados, sob pena de ser acusado de estalinismo militante e demoro mais tempo a passar à história e garanto mais uns anos o meu ganha pão. Se não me candidatar passo já à história"

Boas novas


De repente, entrando na Fnac, dou de caras com esta capa. De surpresa, percebo que Zafón voltou a publicar. E resta-me uma dúvida: leio-o já ou guardo a "biblioteca dos livros perdidos" para as férias?

02 maio 2008

O povo não é estúpido

Segundo o Expresso, a RR e a Sic o PSD (2,5%) e o Presidente (7,4%) cairam no índice de popularidade. Realmente, o povo não é estúpido. Embora pareça distraído, tem a frieza dos italianos: quando menos se espera já está lá dentro...

01 maio 2008

Zenit

Enquanto a minha filha dorme, vejo o Zenit de São Pertersburgo humilhar o Bayern de Munique (os alemães nunca se deram bem com aqueles ares). E lembro-me de uma das cidades mais belas do mundo, que bem merece uma vitória, mais de meio século depois.

Entre o que mais confusão me faz...

...nos dias que correm é a falta de capacidade de sofrimento que toda a gente mostra ("só se não der muito trabalho", ou "assim não fica tão bem feito" ou "só agora é que pedes?" ou ainda o infinitamente conhecido "ai"/suspiro).

A cada dia que passa me convenço mais disto: estamos defintivamente num tempo de "quero e quero depressa" quando se trata dos prazeres da vida e do "esquece, não é comigo" quando chega a vez das obrigações.

E agora, pergunto, como é que faz quem quer contrariar este estado das coisas, este estado de espírito?

Ler e não acreditar

"A repetência não serve os alunos, as escolas, os países", declarou ontem Maria de Lurdes Rodrigues.

Ler


Entre os prazeres que a vida me dedica reapareceu a Ler, de novo pela mão do Francisco José Viegas. E nisto passei uns dias em excelente companhia.

30 abril 2008

O dia em que a vanguarda foi longe demais

O líder comunista já tinha ameaçado com um pedido de mobilização para uma greve geral para contestar a revisão do Código do Trabalho, mas ontem resolveu subir a fasquia e propôr uma moção de censura ao Governo, com esse motivo no centro da argumentação.
Em circunstâncias normais, dir-se-ia que a luta de Jerónimo o tinha que o levar aqui. Percebe-se, até, que a defesa dos trabalhadores (no conceito comunista de “defesa” e de “trabalhadores”) teria que ter como consequência a mais forte das batalhas políticas - uma censura no Parlamento.
Mas, desta vez, algumas batalhas (e vitórias) depois, o líder comunista levou longe demais o conceito de vanguarda. É que anunciando já uma moção de censura, e marcando-a para a próxima semana, o PCP antecipa-se à própria discussão do Código de Trabalho, sem sequer esperar pelas medidas (e pelos recuos) dos socialistas nesta matéria.
Pior ainda: em plena crise do PSD, tudo o que Sócrates mais poderia desejar era uma guerra com a esquerda, para mostrar que as reformas seguem caminho. Ontem, para ser justo, Sócrates só podia ter tido uma palavra para Jerónimo: “Obrigado”.

29 abril 2008

Carta de Bruxelas ao eng. Sócrates

"Portugal deverá completar, em 2008, o terceiro ano consecutivo de variação negativa dos salários reais por trabalhador. As contas são feitas pela Comissão Europeia e, a confirmarem-se, representam o período mais longo de perda do poder de compra dos assalariados portugueses durante as últimas três décadas."

Carta do comendador ao eng. Sócrates

"Não tenhamos ilusões, que serão perigosas, tendo em conta o futuro próximo: Portugal não vai escapar à crise que afecta a União Europeia. A culpa não é do Governo - é preciso que se diga, em abono da verdade -, é da conjuntura ocidental e mesmo mundial. A redução do deficit foi importante. Era necessário ser feita. Mas a conjuntura económica europeia é-nos adversa. Devemos compreendê-lo e fazer-lhe face. Com coragem, lucidez e sem quebra dos princípios éticos, que nos devem reger."
Mário Soares, Diário de Notícias

28 abril 2008

O país está preparado para a verdade?


A candidata Manuela Ferreira Leite lança-se hoje no mais difícil palco político do país: ser candidata à liderança de um PSD feito em cacos, a ano e meio de legislativas onde terá que correr contra José Sócrates e uma inédita maioria absoluta socialista.
A entrada de Ferreira Leite pode, porém, ser o primeiro grande teste à qualidade da democracia portuguesa. Antes do mais, percebendo até que ponto uma mulher que defende políticas impopulares pode seguir essa defesa em público, ir a votos com essas mesmas ideias - dentro e fora do partido. Depois, e em caso positivo, tentar perceber se uns e outros (no PSD e fora dele) estão preparados para isso - se estão preparados para a verdade, nua e crua, de um país que está longe dos melhores dias e que vai ter que sofrer para voltar a eles.

A propósito: não foi o presidente da República que pediu aos políticos que parassem de vender ilusões?


E se o Papa morre?

O Público de hoje dedica 3/4 da sua primeira página a uma entrevista com António Cunha Vaz, quatro páginas do P2 e coloca um filme no site do jornal com 4 minutos e 5 segundos da mesma entrevista. Critérios não se discutem. Mas...e se o Papa morre, o que farão?

25 abril 2008

Os dois quebra-cabeças de Ferreira Leite

“A renovação é para levar a sério” argumentou Ferreira Leite há apenas seis meses para recusar ser presidente da mesa do Congresso do PSD. O que mudou, então, no último semestre? A confirmação do óbvio: Menezes não sabia o que fazer ou por onde ir (porque nem tudo se resolve à bomba) e, tudo o resto, está entre o vazio e o deserto. Quem sabe não quer, quem quer não sabe. É triste mas é verdade. Neste momento o PSD não passa de uma família de classe média-baixa, falida (de ideias e rumo) que recorre à matriarca para pagar as contas. Aqui chegados o problema de Ferreira Leite não é o mal-estar que causará a Cavaco e, por tabela, a Sócrates por ser a fiel confidente do Presidente. A questão não se coloca. Cavaco é experiente e politicamente calejado e Sócrates não quer guerras com Belém antes de 2009. A candidata a líder do PSD tem outros dois quebras-cabeças por resolver. Primeiro, o mais difícil: vencer as eleições. A máquina está tomada e os ventos não são favoráveis. Segundo, ter a capacidade de impor um destino, com menos protagonismo na passarela e mais suor e carne assada. A idade? Só conta se os resultados forem maus...
Diário Económico, 23 Abril

Mas é mais do que evidente que o discurso de hoje do Presidente da República focando a necessidade de atrair mais jovens para a política não ajudou. McCain pode lá chegar aos 72 e, em 1940, Churchill chegou lá aos 65. Mas que a idade será um issue das directas, será.

24 abril 2008

Os candidatos (III)

Conheci Passos Coelho há uma dezena de anos. Já então tinha vincadas fortes opiniões políticas, distintas até do projecto de Marcelo ou - depois - do de Marques Mendes. Tem experiência política, boa presença. Teve a força para terminar um curso, de sair do mundo político durante anos. Não depende do salário político, o que é a base para um futuro promissor. Mas tudo isto não chega, ainda. Pedro Passos Coelho é um líder do presente que precisa de um tempinho para ser forte - como Aznar teve em Espanha, para não irmos mais longe. Acontece que o país não tem um González à frente, nem perspectivas de um futuro risonho. Se continuar a ter a prudência que até aqui mostrou e - sobretudo - se souber rodear-se dos melhores e apenas deles, será sempre alguém com quem o país pode vir a contar. Assim saiba preparar um projecto, com pés e cabeça.

Os candidatos (II)

Pedro Santana Lopes reaparece para o tira-teimas. Desde o fatídico 2004 que tem uma conta a ajustar com o partido que o aceitou, em parte, sem qualquer gosto. Santana acredita até que foi essa parte do seu PSD que o tirou do lugar que lhe perteceu porque Barroso assim o quis. Aqui reside a razão de Santana: se há contas a ajustar no partido este é o momento. O ponto forte da sua candidatura é inegavelmente este: entra na corrida porque acha que foi injustiçado e porque acredita que vale mais do que o que ficou daqueles seis meses. Mais ainda, acredita que a sua ideia de país pode ter sucesso.
Eu, que tenho simpatia pelo homem e nenhuma pelo seu projecto, valorizo o acto. E acho que não só ele merece a oportunidade, como merecia mais dos amigos de Menezes que agora vêm declarar apoio a Passos Coelho.É a prova que em política poucos são os que podem contar com amigos. O que diz muito sobre a política e os políticos que temos.

Os candidatos (I)

Manuela Ferreira Leite aceita com 68 anos um desafio que poucos aceitariam. Melhor dizer, uma missão. Tem, a meu ver, as melhores condições para ser presidente do partido, começando no sentido de Estado, na convicção, na ideia do que deve ser um partido sério num país sério. O seu currículo é dificilmente rebatível, a força da sua argumentação vem da verdade, palavra que poucos usam nos dias que correm. Terá, porém, um problema por resolver: é que quem tem 68 anos de idade e resolve aparecer porque mais ninguém havia deve dizer, à partida e de forma clara, se quer se primeira-ministra e por quanto tempo.

21 abril 2008

a propos

grande infográfico hoje no DE sobre a história dos partidos portugueses. Pertinente e claro. Só faltou uma coisa: que os percursos da liderança fossem apresentados em modo comparado, para vermos quem se cruzou com quem na liderança do quê!

Manuela Ferreira Leite avança para a liderança (fonte:SIC)

Agora é que vamos ver quem é que manda no PSD: as elites,as bases, as elites das bases ou as bases das elites? Será este o final de um partido ou a "fenixização" do mesmo? Será que o(a) 16ºª presidente do PSD fará ressurgir os momentos vencedores de firmeza política e riqueza ideológica ou fará acentuar o desvario político e o vazio ideológico em que o partido caiu nos ultimos anos?

19 abril 2008

Caíram que nem uns patinhos...

Patinha Antão está a ser "instado por algumas pessoas" a candidatar-se à liderança do PSD. Parece que são dois primos em segundo grau (pelo lado da avô materna) que vivem no Canadá. Apostaram numa noite de copos com os amigos que conseguiam meter o primo nas notícias da RTP-Internacional. E, os outros, caíram que nem uns patinhos...

18 abril 2008

Que sujeito inoportuno...

E eu hoje com tanta coisa para escrever e o homem tinha que me estragar a agenda e a atenção dos milhares de leitores do insubmisso. Que sujeito inoportuno...até nisto ele é inconveniente.

Há coisas fantásticas, não há?

Luís Filipe Menezes anuncia eleições directas e, no mesmo minuto, diz que não está na corrida. Horas depois recusa-se a dizer que não estará na corrida. Resta às pessoas sérias um mês para criar um candidato. Pensem assim: Cavaco precisou de menos em 1985.

16 abril 2008

dúvida metafísica




será que um funcionário da google usa o messenger? será que um funcionário da microsoft tem um gmail?

António Costa na Lusa

Sol encoberto com nuvens baixas e carregadas,com forte probabilidade de aguaceiros nas zonas altas a norte e a sul do Mondego.Vento moderado a forte de sul sudoeste.

Ao seu melhor estilo, Pinto da Costa dixit

"Na verdade, estava a caminho das urgências[do Hospital da Luz], quando passei pela morgue e vi que lá estava grande parte do Benfica. Aí, melhorei e vim embora", disse Pinto da Costa ao site do semanário "Sol"".

15 abril 2008

Regressámos ao PREC

"Quem não sabe governar a sua casa jamais poderá governar o país". Mário Soares teve a cara-de-pau de o dizer, há perto de 30 anos, quando Francisco Sá Carneiro saiu de casa e vivia em união de facto com Snu Abecassis. Era então primeiro-ministro. Hoje, isto, seria absolutamente inimaginável. Graças a Deus, porque somos um país melhor, mais evoluído, mais democrático e crescidinho. Até há dias, quando o PSD decidiu brindar-nos com uma loucura vinda do PREC. Primeiro foi Rui Gomes da Silva. Seguiu-se Ribau Esteves. Aqui quem cala consente. E quem consente vai dar-se muito mal. Fernanda Câncio tem razão. Marcelo resumiu-o: "É abaixo de cão".

a FHM e a Bwin fazem grandes festas

Ribau Esteves e Gomes da Silva

Afinal a indecência e a decadência têm rosto e como seria de esperar é feio, cobarde e mesquinho!

Fernanda Câncio a ser criticada (coisa que não considero aceitável), merecia sê-lo por alguém com nível. Paciência Fernanda!

O caso Coelho/Mota-Engil à distância

Analiso em retrospect a situação do ex-quadratura e imagino as reacções se:
- Tavares Moreira fosse convidado para Governador do Banco de Portugal;
- Chalana fosse convidado para seleccionador nacional;
- Santana Lopes fosse novamente candidato a PM.

Não ponho em causa a seriedade e a bondade de Jorge Coelho, cuja frontalidade e carácter político têm sido por demais evidentes. Mas confesso que me questiono como é que um Ex-Ministro das Obras Publicas que se demitiu assumindo a sua responsabilidade política por um grave acidente (falhas técnica e política), e que foi o causador, ainda que indirecto, da queda do Governo Guterres (falha política), é convidado para dirigir a maior empresa Portuguesa de...obras públicas. Ele há coisas fantásticas não há?

Relativismos...

Leio Dias Loureiro e pasmo:

"não vejo que o Jorge Coelho deva deixar sobrepor a ética de outros à sua própria ética" (Dias Loureiro ao CM de 12.04.2008)

Pois é! A ética de cada um é sempre melhor que a dos outros!?

Quando se tem esta consciência moral é grave; quando se verbaliza este pensamento, mais grave se torna; quando se é "uma das reservas morais" de um partido de governo, torna-se gravíssimo. Mas afinal de contas, estamos em Portugal onde tudo se aceita com bonomia e amoralidade.

14 abril 2008

Life would be so easier!! For sure!! by Woody Allen

In my next life I want to live my life backwards. You Start out dead and get that out of the way. Then you wake up in an old people's home feeling better every day. You get kicked out for being too healthy, go collect your pension, and then when you start work, you get a gold watch and a party on your first day. You work for 40 years until you're young enough to enjoy your retirement. You party, drink alcohol, and are generally promiscuous, then you are ready for high school. You then go to primary school, you become a kid, you play. You have no responsibilities, you become a baby until you are born. And then you spend your last 9 months floating in luxurious spa like conditions with central heating and room service on tap, larger quarters every day and then Voila! You finish off as an orgasm! I rest my case.



Woody Allen

12 abril 2008

Expresso

Pela primeira vez em muitos meses não comprei.

Desisti de ter esperança que o pasquim tenha substância.

De hoje em diante o único expresso que vou comprar é o que está na imagem!

11 abril 2008

Conversas Unicer

Lá estive eu ontem na Central de Cervejas, perdão, na Central Tejo convidado por uma empresa de Cervejas, ouvir falar de blogs corporativos e tal e tal e bla bla.

Grandes conclusões daquela sessão (cujos cadeirões tinham conforto à Nikki Beach):
1-Gostei muito e sempre que me convidarem lá estarei;
2-O Paulo Querido afinal gosta da Microsoft;
3-O Luis Paixão Martins continua com um riso de encher a sala, mesmo aquela;
4-O Pires de Lima passa pelas brasas nas partes da palestra em que vale a pena passar(até aqui ele é eficaz e eficiente);
5-O José Manuel Costa está com uma melena surreal própria de um qualquer Duran Duran;
6-A UNICER devia perceber mais de blogosfera, e arrisca-se a perder o comboio para a concorrência. (Esqueçam esta última reflexão. Como a comunicação da CentralCer está entregue à Cunha Vaz não há perigo da concorrência chegar a lado algum primeiro!).

10 abril 2008

Suspensa para melhor oportunidade

Leio e mal acredito. A ministra da Educação resolveu propor oito novas alíneas aos sindicatos para melhorar a avaliação dos professores, incluindo uma que faz com que a primeira avaliação, se for negativa, não sirva para nada. Na prática o Governo acaba de suspender a avaliação - que, este ano, passa a ter validade zero. O recuo parece disparatado por tudo. Porque é duvidoso que faça parar a contestação. E porque deixa em stand by um princípio realmente virtuoso.

FMI

Menos crecimento, uma crise ainda longe do fim, Portugal com menos crescimento. O FMI não foi optimista e o Governo não gostou. O PS até disse que as previsões do Banco de Portugal são mais credíveis - esqueceu-se apenas que o próprio Constâncio já disse que vai rever em baixas as suas próprias previsões de crescimento. Os tempos que aí vêm, garanto-vos, não serão fáceis para um país (ainda) com défice a mais, endividamento a deitar por fora e pouco juizo pela parte de quem manda.

Constituintes

O presidente da República foi ao Tribunal Constitucional dar mais uma facadinha no amigo Menezes. Disse Cavaco que o TC é à prova de crítica e que o nosso modelo constitucional não deve ser alterado. Foi você que pediu uma revisão constitucional?

31 março 2008

Dixit

"Com um défice de 2,7%, 2,6% ou 2,5% não há margem para o Governo actuar, ao nível dos impostos"
Fernando Teixeira dos Santos, há um ano, na Comissão Parlamentar de Finanças

28 março 2008

Quadro geral

O Governo ignora que o mundo enfrenta uma crise económica grave, com o pior ainda por descobrir, e desce os impostos - facto inédito em todo o mundo. A oposição faz o resto do trabalho e diz que é pouco ou que, no limite, talvez fosse melhor só daqui a uns meses. Bonito cenário, o que teremos daqui a ano e meio.

26 março 2008

Sobre a descida de impostos

A palavra de Cavaco será um sinal importante do que aí virá.

A crise? Qual crise?

No dia em que o presidente do BCE avisou que a crise está longe de ter sido ultrapassada, o primeiro-ministro português anunciou que a crise orçamental portuguesa já era e que o país está preparado para começar a baixar impostos. Começa já pelo IVA.
Para mim a conta está feita: um ponto de IVA a menos é igual a um voto a menos.

é sempre curioso (como diria Mota Amaral!) conhecer a democracia francesa por dentro

24 março 2008

AdC

Será que para se ser presidente da AdC é necessário termos um nome constituído por 2 nomes próprios?

21 março 2008

Violência nas escolas

1. Vejo o vídeo da agressão a uma professora e mal acredito nos risos que se ouvem dos outros alunos. Nestes casos ou há expulsões (plural) ou a escola em Portugal chegou mesmo ao fim da linha.
2. Lembro-me do que disse há tempos a ministra ("não há violência nas escolas") e o que contradisse o PGR ("mesmo um risco num carro de um professor não pode ficar impune") e pergunto-me se Pinto Monteiro será a única pessoa de bom-senso neste país.

17 março 2008

30 anos de sabedoria insular


há 30 anos que ele goza o prato.

há 30 anos que vive as alegrias da democracia e a falência do modelo administrativo-institucional, desse ente rídiculo chamado República Portuguesa.

Parabéns Albért Juan!

Portugal tem 4 grandes problemas estruturais


-Saúde
-Educação
-Justiça e
-Piercings na língua!!

14 março 2008

A vida privada

de José Sócrates é muito, muito chata, ou é apenas a vida pública que o é?

10 março 2008

O exemplo

Coragem, lucidez. Saber sair é, muitas vezes, sinónimo de sobrevivência. Não será, Paulo Bento?

Sábado em Lisboa

"Vai ser um dia porreiro. Vou agora para a manif e depois vou para os Cure"

extracto de conversa, à hora de almoço, entre duas mulheres junto a Entrecampos.

SLB

Camacho disse e fez aquilo que qualquer benfiquista queria dizer e fazer, relativamente à equipa encarnada que por estes dias se arrasta pelos relvados...llega! me voy!

06 março 2008

Dias úteis

Dias úteis
às vezes pretextos fúteis
pra encontrar felicidades
no percurso de um só dia
Dias úteis
são tão frágeis, as verdades
que se rompem com a aurora
quem as não remendaria?
Dias úteis
mesmo se a dor nos fizer frente
a alegria é de repente
transparente
quem a não receberia?
Mesmo por pretextos fúteis
a alegria é o que nos torna
os dias úteis
Dias raros
aqueles que por amparos
do bom senso e da imprudência
fazem os prazeres do dia
Dias raros
como os ares, Rarefeitos
amores mais do que perfeitos
quem os recomendaria?
Dias raros
em que os mais dados às rotinas
ouvem sinos, seguem sinas
cristalinas
quem as não perseguiria?
Por motivos talvez claros
o prazer é o que nos torna
os dias raros
Por pretextos talvez fúteis
a alegria é o que nos torna
os dias úteis
Por motivos talvez claros
o prazer é o que nos torna
os dias raros
Por pretextos talvez fúteis
por motivos talvez claros

05 março 2008

Yes, we can...not

A súbida onda de entusiasmo com Barack Obama teve ontem o seu primeiro sério revés nos EUA. Tenho sérias dúvidas que o Kennedy negro chegue lá. E esperança de que não chegue. Os States são importantes demais para o mundo para mais experiências e para novas fantasias.

03 março 2008

Coisas bonitas

Ontem, at last, o Sporting jogou melhor e merecia vencer. É um passo em frente com muito ainda por fazer. Será melhor na desforra. É que um Sporting-Benfica é mesmo o melhor jogo do mundo.

02 março 2008

Regresso...

fascinado por concordar com Francisco Louçã: "O filho do rico e o filho do pobre devem ser tratados da mesma maneira (pelo SNS). Porque as pessoas já pagaram de forma diferente nos impostos." Nos dias que correm, é um rasgo de lucidez.

26 fevereiro 2008

quando o comentador se torna notícia

este homem foi agredido.
a mais elementar justiça obriga-me
a lamentar publicamente a pouca eficácia
dos meliantes.
para mal dos nossos pecados vamos
continuar a ter tempo extra, com todos os
transtornos que isso implica para a seriedade do
nosso espaço televisivo.

Ao menos só se estraga um debate!

in Meios e Publicidade

Cunha Vaz e Jorge Coelho discutem relação entre marketing político e agências
26 de Fevereiro de 2008

António Cunha Vaz, administrador da Cunha Vaz & Associados, e o ex-ministro socialista Jorge Coelho vão debater, a 4 de Março, no Auditório 1 da Universidade Lusíada de Lisboa, o tema O Marketing Político e as Agências de Comunicação. Esta é uma iniciativa organizada pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas e conta com o jornalista do Diário de Notícias Francisco Almeida Leite a moderar o debate.

25 fevereiro 2008

criatividade versus inovação

infelizmente somos um país de criativos e não de inovadores.por aí pecamos e penamos. continuamos a ter boas ideias que são bem aplicadas e operacionalizadas por outros. somos criativos, temos ideias, mas não as conseguimos nunca levar à prática. e o mais difícil, porque depende de um dom inato, é mesmo ter essas ideias. o resto meus amigos!? o resto é método, que só utilizamos pelos piores motivos.

the list


Best Motion Picture: "No Country for Old Men."
Lead Actor: Daniel Day-Lewis, "There Will Be Blood."
Lead Actress: Marion Cotillard, "La Vie en Rose."
Supporting Actor: Javier Bardem, "No Country for Old Men."
Supporting Actress: Tilda Swinton, "Michael Clayton."
Director: Joel Coen and Ethan Coen, "No Country for Old Men."
Foreign Language Film: "The Counterfeiters," Austria.
Adapted Screenplay: Joel Coen and Ethan Coen, "No Country for Old Men."
Original Screenplay: Diablo Cody, "Juno."
Animated Feature Film: "Ratatouille."
Art Direction: "Sweeney Todd the Demon Barber of Fleet Street."
Cinematography: "There Will Be Blood."
Sound Mixing: "The Bourne Ultimatum."
Sound Editing: "The Bourne Ultimatum."
Original Score: "Atonement," Dario Marianelli.
Original Song: "Falling Slowly" from "Once," Glen Hansard and Marketa Irglova.
Costume: "Elizabeth: The Golden Age."
Documentary Feature: "Taxi to the Dark Side."
Documentary Short Subject: "Freeheld."
Film Editing: "The Bourne Ultimatum."
Makeup: "La Vie en Rose."
Animated Short Film: "Peter & the Wolf."
Live Action Short Film: "Le Mozart des Pickpockets (`The Mozart of Pickpockets')."
Visual Effects: "The Golden Compass."

hoy por hoy este es un restaurante lleno de felicidad

bardemcilla
en la chueca


22 fevereiro 2008

Hasta siempre


Fidel sai. Dizem alguns, que sai pela esquerda alta. Para mim sai, tout court. E ainda bem que o faz porque o activo líquido da liberdade efectiva do mundo é reforçado (espero!). Não sou nem nunca serei marxista. Duvido que alguma vez seja de esquerda. Acredito na liberdade individual responsável, e em que uma cabeça nunca poderá ser ser utilitaristicamente substituída por uma decisão do colectivo.
Fidel sai, mas deixa-me saudades. Era como um bom e velho sofá em casa dos pais. Estava lá e conheciamos-lhe as molas. Não falhava, sabíamos sempre com que contar. A partir de agora, não. Deus nos guarde e proteja.

Documento da SEDES

O Público disponibiliza-o no seu site. Vale a pena ler o alerta feito por uma respeitada associação cívica. Só julgo que, infelizmente, ninguém vai tomar boa nota das mensagens lá apresentadas, bem como, creio que a mensagem é redutora da amplitude, gravidade e profundidade da crise de valores que verdadeiramente se vive neste país.

a minha praia...


A Miss Pearls mostrou a sua: S. Martinho. Eu mostro a minha. É em Portugal, é a única coisa que eu revelo. FT reconheces?

Sacyr/Somague e o PSD

o mais engraçado de toda esta pouca vergonha...é que dentro do PSD o Senhor Lopes, clama por solidariedade para com os antigos dirigentes do partido. Desculpem a pergunta, mas este homem vive cá????? A ética que utiliza é a republicana, a da banana ou a da enguia??????

Corre nos mentideros....

...que a agência de comunicação do regime é a LPM. E que a do próximo é a Chunga Vaz (sim, sim, não é gralha!!!!)

Confesso...


...que adoro o Cheesecake de dulce de leche que eles vendem em Espanha, mas a Starbucks é provavelmente a cadeia mais uncool existente na Península Ibérica. Tudo lá cheira a artificial e são provavelmente os maiores exploradores do planeta (financeiros, quero eu dizer!) Não gosto e tentarei não utilizar quando entrar cá em Portugal. Esta é uma declaração de voto que fica apensa a este blog mas que não o vincula (não faço a miníma se o FT o DD e a BB partilham desta ideia).

19 fevereiro 2008

O caso dos projectos do Engº Pinto de Sousa

O Engº Pinto de Sousa foi ontem à SIC.
O caso dos projectos que assinou e do dinheiro que recebeu por eles, é bem mais grave do que o curso superior que alegadamente fez na defunta Universidade Independente.
Todavia os níveis de indignação do país, ficaram abaixo do nível máximo das águas do regueirão dos Anjos em tempo de Verão.
De facto o país tem a classe política que merece e as elites que merece.
É por estas e por outras que Portugal é o que é.

18 fevereiro 2008

de ARCO con amor


vieram comigo de madrid:

1-a vontade definitiva de lá morar!
2-o fascínio por james lahey, dionisio gonzalez e roberto polidori
3-1,5 kg de lacasitos de chocolate para o salvador e para o rodrigo

james lahey
roberto polidori

dionisio gonzalez

lacasitos de chocolate

12 fevereiro 2008

Criatividade (IV)

toys 'rus
" whose the king of the world, after all? "

Criatividade (III)

amnistia internacional
"the true spirit of the olympics"

Criatividade (II)

durex extra large

11 fevereiro 2008

Criatividade

este homem
foi director criativo da
Saatchi & Saatchi.
vale a pena ler o que
ele escreve




are you trendy ? check it out!


Um exercício muito bom sobre tendências, a descobrir aqui

E o que me dizem...

...das complicações em que a Compal e a CGD se meteram por não terem informado o mercado (leia-se CMVM) da venda da primeira à Sumolis???

Espero que o Regulador tenha o bom senso de actuar e os jornalistas de continuar a investigar!!!!

Agências de Comunicação (II)




"Central de Cervejas abre concurso para agência de comunicação

A Sociedade Central de Cervejas e Bebidas está a consultar o mercado para escolher a agência de comunicação com quem irá trabalhar nos próximos tempos. A informação foi confirmada ao briefing por Nuno Pinto de Magalhães, assessor da administração da Central de Cervejas. No concurso participam a Imago, que detém a conta, a Cunha Vaz & Associados e uma outra agência, que o briefing não conseguiu apurar.
«De tempos a tempos é norma da empresa fazer uma consulta ao mercado e é isso que estamos a fazer agora», explicou o responsável pelas relações institucionais da Central de Cervejas. A Imago trabalha a conta de comunicação da empresa de bebidas há quatro anos. A decisão será tomada no final de Fevereiro." Jornal Briefing 2008/02/11


Juro que não tenho nada contra o Cunha Vaz, mas este caso é chocante!!! Todos os jornalistas sabem, porque a Central de Cervejas(SCC) já tratou de informar alguns jornalistas em off (e mesmo a própria Imago!!!!), que a SCC vai passar a trabalhar com a Cunha Vaz!!!!!

Mas apesar desses factos a SCC vai montar este Circo Romano só para lançar poeira para os olhos de quem está de fora a ver.

Haja respeito pelo mercado e pela honestidade e seriedade dos seus agentes (nos quais eu não incluo obviamente, a sinuosa Cunha Vaz e a forma como esta está no mercado!!!!)

08 fevereiro 2008

O Leixões está acima da linha de água com 19 pontos em 18 jogos e o ...

..."CDS-PP ultrapassa abarreira dos 10.000 militantes e pode ficar acima dos 15.000
Lisboa, 08 Fev (Lusa) - O CDS-PP já ultrapassou a barreira dos 10.000 militantes, no processo de actualização de ficheiros em curso, e poderá ficar acima dos 15.000 filiados inicialmente previstos, disse hoje à Lusa o secretário-geral João Almeida."

07 fevereiro 2008

Só neste país (III)

....é que um jogador da selecção nacional que não faz um chavelho durante um jogo todo (leia-se Ronaldo), vem ao flash interview a rir, dizer que vão continuar a trabalharcomo até agora!!

Só neste país (II)

...é que o Director da PJ diz o que diz, e não é despedido na hora (só porque é amigo de longa data do Ministro)!!

Só neste país (I)

É que um cirurgião como Eduardo Barroso, defensor do SNS, ganha quase 280 000 Euros em prémios só por fazer aquilo que é supostamente pago para fazer, mesmo ficando em casa!

04 fevereiro 2008

Grupo Espirito Santo

Ricardo Salgado afirmou ao Expresso que "o BCP não podia estar em melhores mãos".

Vindo de quem vem surgiu-me a dúvida: será um elogio ou um sarcasmo?

É que, como dizia um amigo meu, não há nada melhor que uma bela crise numa empresa, para o sucesso dos seus concorrentes!

01 fevereiro 2008

BIC BIC BIC...50 anos por cá

BIC LARANJA, BIC CRISTAL DUAS ESCRITAS À NOSSA ESCOLHA. PARA RELEMBRAR AQUI e AQUI

31 janeiro 2008

Afinal há esperança ! Coragem Luis Filipe...se Luis Claudio conseguiu tu também conseguirás, coragem!

encontrada no sapo.pt

Agências de Comunicação

A LPM, agência de comunicação de créditos firmados, publica aqui as suas contas. Numa altura em que tanto se fala delas, o acto deve ser saudado, devido à transparência que proclama.

Era bom que todos os outros, sobretudo os "wannabes", fizessem o mesmo para percebermos afinal, quem é que vale o quê no mercado e a sua verdadeira dimensão.

Se calhar depois desses actos se perceberia que há uns que são na verdade anões no mundo da comunicação a quem nem os santinhos todos das freguesias de ...

Canidelo, Madalena, Valadares, Gulpilhares, Arcozelo e S. Félix da Marinha,Afurada, Sta Marinha, Oliveira do Douro, Avintes Olival, Crestuma e Lever, Mafamude, Vilar de Andorinho, Vilar do Paraíso, Canelas, Perosinho, Pedroso, Serzedo, Grijó, Sermonde, Seixezelo e Sandim

...ajudam o suficiente.

Pacheco Pereira levanta suspeitas

Nem de propósito, e juro que nem o conheço, Pacheco Pereira (PP) admitiu ontem no Quadratura, que mesmo os deputados do seu partido poderiam, indevidamente, ser responsáveis por representação de interesses particulares no exercício das suas funções de deputado. PP levantou a hipótese da necessidade de intervenção sobre o funcionamento, procedimentos e estatutos da actual Comissão de Ética da AR. Com sorte, quem de direito ouvirá a voz incómoda de PP. Fé

30 janeiro 2008

innocence

grown up are incapable of changing the world
and moving the future to present days

Ainda sobre o Parlamento e sobre a bancada do PSD e sobre a hipocrisia do Sr. Lopes

O presidente da Comissão Parlamentar de Orçamento e Finanças é Jorge Neto do PSD.
Para verem a declaração de registo de interesses deste advogado do Porto consultem a página

A Comissão Parlamentar dirigida por este Senhor Deputado analisou, deliberou e pronunciou-se sobre os assuntos que se podem consultar em http://www.parlamento.pt/comissoes/Comissao.aspx?Tipo=0&Categoria=0&id_comissao=1907.
O Deputado Jorge Neto manifestou em declaração pública que não tinha incompatibilidades a declarar. (http://www.parlamento.pt/deputados/deputado.aspx?ID=1687).
No sítio onde eu nasci este tipo de declaração toma o nome de omissão dolosa de factos. Em qualquer país sério este tipo de situações é investigado em sede própria.
Para além disto cada deputado tem a sua agenda de contactos e inicia processos de variada natureza dentro e fora do parlamento a coberto da sua actividade de deputado.
Quem quiser pode iniciar as suas investigações tal como eu o fiz. Não é necessário ser Bastonário da Ordem dos Advogados para indicar o que está mal na nossa sociedade e no nosso sistema político.

27 janeiro 2008

He will make it

It's a matter of time