16 fevereiro 2009

Prós e contras

Sou contra os casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Não acho que o casamento seja para procriação (tenho demasiado respeito por quem não procria - palavra feia esta...), não acho que se trate de uma questão constitucional, tão pouco de uma questão civilizacional. Ontem Rui Tavares, um inteligente homem de esquerda, no Prós e Contras, apontava dois argumentos para defender o casamento entre pessoas do mesmo sexo: como pagam impostos e podem ser primeiros-ministros os homossexuais devem poder casar; como o Estado não deve meter-se na cama de ninguém pode comparar-se a impossibilidade de serem realizados casamentos entre pessoas do mesmo sexo à luta pelo fim da pena de morte. Boçal o argumentário. Por que querem os homossexuais ter direito ao casamento tal e qual foi concebido para heterossexuais? Não querem ser discriminados. Concordo: não devem ser discriminados, nem negativa nem positivamente. Os homossexuais querem, por isso, que o Estado lhes reconheça os mesmos direitos que reconhece aos heterossexuais. Nada mais justo. Daí a conceder-lhes a possibilidade de se casarem vai um grande passo. Seria como um cidadão estrangeiro sem licença de residência em Portugal exigir o mesmo tratamento do Estado português que um cidadão português. É tão nobre o respeito na igualdade quanto o é na diferença. Mesmo quando estamos a falar da possibilidade dos homossexuais terem acesso a algo que foi concebido, apenas, para heterossexuais: o casamento.

6 comentários:

Lacão disse...

Que dizer da gaiteira que esbrecejava no palco dizendo que todos eram limitados pois não percebiam o que dizia ?
Foi interessante verificar a intolerancia total por parte daqueles que supostamente defendem uma lei, também supostamente, mais tolerante.

A Presença das Formigas disse...

"casamento concebido para heterossexuais"

E a sociedade e os costumes não mudam? E a legislação não deve acompanhar?

Aqui defende-se a adopção por casais homossexuais:
Esta gentinha é perigosa: será que também querem tirar os filhos aos casais homossexuais?

Blau disse...

Como dizia alguém algures...

Como a garrafa foi concebida para colocar água, já não se pode colocar vinho.

Se quiserem colocar vinho já não se pode chamar garrafa... olha chamem-lhe frasco!

Qual é a dificuldade de perceber que um casal homossexual é igualzinho a um casal heterossexual a nível de conjugalidade, amor e afectos?

Pô, o desprezo é tão grande e falta de respeito e o reconhecimento da diferença com valores de igualdade como pano de fundo que é visto como um insulto o acesso ao casamento civil por pessoas do mesmo sexo?

Era como antigamente... não se podia dar os mesmo direitos às mulheres e aos negros porque não eram iguais. Aliás eram inferiores e se tivessem acesso aos mesmos dreitos era o descalabro e insultuoso para os homens e brancos, "naturalmente" superiores. Como é possível em pleno século XXI em toda a nossa história ocidental não conseguirem perceber o que significa igualdade, liberdade e dignidade?

Anónimo disse...

fraternidade, blau, os jacobinos defendiam a liberdade, igualdade e a fraternidade...que como sabeis é coisa um pouco abichanada.

Marquês de Marialva

Bruno Faria Lopes disse...

Faço minhas as palavras que li por aí na blogosfera (citadas pelo FJV): "No que toca ao casamento só espero que sejam todos felizes para sempre". Mai nada.

FT disse...

Chamem-lhe consórcio...e aí sim: "Só espero no que toca ao consórcio que sejam todos felizes para sempre"