20 abril 2006

Perdemos por não sei quantos a um

Fui expulso aos dez minutos. No primeiro amarelo disse apenas ao senhor árbitro que parado no meio campo não podia ver, com rigor, os fora de jogo junto à nossa área. Talvez o tom tenha sido excessivamente alto. Eu falava na qualidade de capitão e estava na defesa junto à bola, ele no meio campo. Mas o tom, parece que o tom foi demasiado alto.
No segundo amarelo, pouco depois, sofri falta e agarrei a bola durante a queda para reatar de imediato o contra-ataque. Expulso. Sem mais nem menos, porque parece que o senhor árbitro viu uma falta que não cometi. A equipa adversária até se deu ao luxo de ter um jogador (suplente imagine-se!) a entrar em campo e a empurrar um dos nossos: lembram-se do Campomaiorense - Porto em que o Baía andava a fazer festinhas em adversários?
Dizem que sou temperamental quando jogo futebol mas confesso que o hematoma de três centímetros que tenho na canela direita e o rasgo de dez centímetros não ajudam. É que o senhor arbitro nem sequer assinalou falta. Muito menos mostrou um cartão. Temperamental? Eu? Talvez. Vá!, às vezes. Quando me obrigam a dormir com betadine.

3 comentários:

FTA disse...

Coitadinho do Chico!

FT disse...

Pois é...coitadinho do Chico. e da canela do Chico

fst disse...

Também sentes que mereçes o Mundial?? És um choramingas do pior !! É por causa de pessoas como tu que o Jorge Costa já deu o nome a muitas criançinhas.
1º- O sr. jogador não tem nada que dizer se o árbitro está longe ou perto, por isso é que lhe cham árbitro
2º - O jogo não era de Handball, pois não ??
Vá lamber as feridas ! Mas sem betadine...